quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Segunda edição da Feira do Livro

Esta foi a forma encontrada pela BE para celebrar, antecipadamente, a semana da leitura.

Os frequentadores desta Feira parabenizaram a equipa da Biblioteca por mais uma iniciativa louvável.

A todos, o nosso obrigado!!

Os Prémios Nobel que ainda não são … mas deveriam ser!

Mês de Março

João Guimarães Rosa, mais conhecido como Guimarães Rosa (Cordisburgo, 27 de Junho de 1908 — Rio de Janeiro, 19 de Novembro de 1967), foi um dos mais importantes escritores brasileiros de todos os tempos. Foi também médico e diplomata.Os contos e romances escritos por João Guimarães Rosa ambientam-se quase todos no chamado sertão brasileiro. A sua obra destaca-se, sobretudo, pelas inovações de linguagem, sendo marcada pela influência de falares populares e regionais. Tudo isso, somado a sua erudição, permitiu a criação de inúmeros vocábulos a partir de arcaísmos e palavras populares, invenções e intervenções semânticas e sintácticas.

Comemoração da semana de leitura

Cartaz fabulástico na criação e nas actividades promovidas.

BE e o PLNM

A Hora do Conta para os alunos estrangeiros realizou-se no dia 24 de Fevereiro. Desta vez, leu-se um pequeno conto apresentado por uma aluna para o concurso "Sophia de Mello Breyner Andresen". Modo estimulante de celebrar a escrita e a criação individual dos seus próprios contos.
Parabéns aos professores responsáveis pelo PLNM criadores de laços de outros auditórios!!

Re. ao Comentário de romã

A equipa da Biblioteca, atenta a todos os comentários, vem, por este meio, responder aos seus assíduos leitores e bloguistas. Não confundir com bloquistas!
Enquanto não for decifrado o desafio, não podemos desfiar o fio da lua...
Portanto, mais uma vez, o desafio está na conquista deste satélite.

Filosofia para Crianças

Por motivos imprevistos, ou talvez previstos, o atelier de Filosofia para Crianças foi adiado para o dia 4 de Março.
Fica então....um breve apontamento!...

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Reiki - A Energia Universal




A palestra sobre o Reiki, além de explanadora foi ternurenta!
A oradora, a Mestre Elisabete Maria, energizou o espírito do auditório a tal ponto que o atributo «fofinha» estimulou cada pergunta!
Viva a interactividade entre a Filosofia, os professores e alunos convidados e, finalmente, a Biblioteca!

Wandzeitung - Wallpaper

Divulgação de mais um Jornal de Parede do grupo de Inglês/ Alemão.





terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

A Bela Adormecida e Inês Beatriz!

A artísta Inês Beatriz encontra-se na fase do adormecimento.
Será plausível o motivo apresentado??
Deixe o seu comentário!!

A Filosofia e a colaboração da BE!

Mais uma Palestra sob o signo da Filosofia Oriental!

A não perder!

Em tons de vermelho… Jun Chen

Criação exemplar da aluna Jun Chen a propósito do Ano Novo Chinês

video

Ano Novo Chinês fotografado

Por deliciosos momentos, os bafejados nesta palestra foram transportados para a cultura milenar chinesa. Valeu a pena.
“Tudo vale a pena quando a alma não é pequena”





Fusão artística entre poemas e peças de roupa

Serias capaz de fazer melhor???







quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Comemoração do Ano Novo Chinês!

A nossa ilustre convidada foi a aluna Jun Chen do 11ºC.

Brilhante o empenho na explanação da cultura chinesa!!

Para mais informações... só mesmo tendo estado na Palestra!

O filme, ainda que apelativo, não substitui a experiência transfiguradora desta arte!



video

Declarações de Amor Universais!!

Como mostram as imagens, os constrangimentos foram mesmo Menores...

O Céu é o limite e a Biblioteca é o Paraíso na Terra!!

Onde está a Nossa Inês Beatriz?


Procuram-se Molas!!

A procura tem sido tanta que as Molas já não suficientes...
Continuamos a precisar de ajuda!! Deixem-nos os vossos poemas!!





quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

A Imagem Escrita do Amor

Ao 11º E, obrigada pela criatividade e disponibilidade!

11º E: Poetas e Declamadores do Amor da ESLA

Em cima de uma cadeira os horizontes são maiores e os constrangimentos menores...

A nossa paixão é tão ardente que nos leva à loucura

E um dos princípios do nosso amor é a ternura

Entre nós haverá fidelidade

Como um tanto de afectividade.
________________________________________________________________________________________

Amor perfeito

Confiança, desejo

Lágrimas caídas

Sonho, respeito

Paixão ardente

Cumplicidade, carinho

Diferença, lealdade

Um caminho percorrido de verdade.

Amor - tristeza ou alegria,

Verdade ou mentira, loucura ou

Perdição, tudo isto define,

Tudo isto é definição de algo

Que vem do fundo do coração.
_______________________________________________________________________________________

Amor é tudo, o amor é também aprender, sorrir e sofrimento, mas acima de tudo é muito especial. O tempo é longo para quem sofre, breve para quem é feliz, lento para quem espera, mas para quem ama o tempo não existe.
_______________________________________________________________________________________

Amor é relação de uma grande conexão.

Dois seres que se unem por uma simples, só razão, para haver amor tem que haver fidelidade que acaba em vontade.

Essa é a saudade de uma grande amizade ou não, a isto eu chamo paixão.
________________________________________________________________________________________

Amor, o amor é paixão

O amor é carinho,

O amor está no coração e partilhamos a

Nossa paixão no nosso cantinho.
________________________________________________________________________________________

No início não éramos nada

Começámos com um beijo

Pedi o teu número de telefone

E agora estou com um desejo.

Telefonei-te de seguida

E falei com carinho

Perguntei onde moravas

E soube que era teu vizinho.
________________________________________________________________________________________

O amor aparece no coração

O amor é paixão

O amor é felicidade

Para existir amor é necessário cumplicidade.
________________________________________________________________________________________

Para amar é necessário vontade, paixão, ter desejo de ver essa pessoa. O amor é fácil, basta respeitar e confiar. Não é necessário casar e ter filhos para haver cumplicidade, basta amar e ser feliz.
________________________________________________________________________________________
Tudo começou com uma grande amizade

Senti que entre nós havia cumplicidade

Mas acima de tudo muita vontade

Vontade de um beijo mergulhado em sinceridade

Olhei para os teus olhos e vi felicidade

Felicidade minha de te ter a meus braços

Limitando-te a tua liberdade.
________________________________________________________________________________________

Eu e tu

Unidos por esta cumplicidade

Não desenganes o meu coração

Que nada mais pede senão felicidade.
________________________________________________________________________________________

Loucura é o sentimento ardente

Amor é a amizade entre a confiança e o desejo

Desejo construído entre a saudade e a vontade

Cumplicidade é a palavra sagrada

Paixão é a palavra proibida

Amor é a palavra realçada.
_______________________________________________________________________________________
O amor é cumplicidade

É uma relação de amizade

Quanto mais procuras, mais sentes

Se desesperas pressentes.
________________________________________________________________________________________
Amado por poucos,

Odiado por muitos

Respeitado por todos.

A diferença de seres diferente é a confiança e o respeito que demonstras pelo teu amor.
________________________________________________________________________________________
Olha…

Sim, tu aí!!

Amo-te.

Isto é o amor:)

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

O Jornal da Escola e a colaboração da BE!

Mecatrónica do Amor


Título sui generis para abordar a temática do amor.
O amor é “uma mão cheia de nada e outra de coisa nenhuma”, é uma invenção premente face à impotência humana de justificar a necessidade emocional do outro, ou seja, “um gravíssimo excesso de grandeza a anunciar o nada”. O nada porque o outro – objecto amado – é apenas um projecção subliminar das nossas múltiplas facetas.
Isto significa a assunção narcisista do amor: quando amamos o outro, amamo-nos a nós próprios e, assim, obtemos o poder tão almejado.
Asserção aparentemente trivial, mas a nossa penitência é eterna porque passou a ser uma obrigação insidiosamente moral. As minhas revisitações pela literatura, pela arte corroboram esta opinião ao asfixiarem todos os verdadeiros amores em amores trágicos.
A ciência, em particular, a psicologia, na sua tentativa de tudo categorizar, transformou o amor numa obsessão caleidoscópica ao classificar os tipos de amor segundo a presença ou ausência das componentes da intimidade, paixão e decisão/compromisso. Segundo Stenberg poderemos obter oito tipos de amor: a inexistência do amor; a amizade; o amor à primeira vista; o amor vazio; o amor romântico; o amor conjugal; o amor irreflectido e o amor consumado. Só este último inclui a presença das componentes referidas anteriormente num jogo de emoções, motivações e cognições.
Não há mecânica, biologia ou electricidade que resista a este novo imperativo - o de nos ensinarem a amar. Todas as prédicas são vendáveis em nome do amor, libidinosamente vendemo-nos a nós mesmos e sofremos de uma nova doença: estamos apaixonados pelo amor.
Por isso, “comam chocolates, comam chocolates” e, apenas, sintam o amor.


A Coordenadora da Biblioteca

Inês Aguiar

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Línguas de Amor - BE e PLNM


video

A Arte da Colaboração!

Só uma ambiência multicultural como a da ESLA permite um espectáculo performativo como este.

Os nossos agradecimentos a todos os professores do PLNM: Luís Reis, Cristina Teixeira, Susana Rodrigues e Patrícia Conceição - verdadeiros demiurgos de hoje!

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Veste-te de Poemas!!!

Ao professor Pedro Afonso e ao 12ºE os nossos agradecimentos pelo «despir» de espartilhos, à professora Cecília Assunção e aos seus alunos pelo tecido poético.